top of page

Artistas, coletivos, centros culturais pedem socorro!

As medidas que a Secretaria de Cultura no Estado de São Paulo criou como apoio à economia criativa são inadequadas. Estão calcadas em empréstimos para artistas, coletivos e produtores independentes.

Neste momento o que os pequenos empreendedores criativos mais precisam é um socorro financeiro, nos moldes do que o governo federal homologou para autônomos do país inteiro. O que menos esses criativos precisam é se comprometer com parcelas de um financiamento - que por mais que tenha juros interessantes - poderão gerar dívidas que eles não conseguirão quitar.

A volta ao trabalho para o criativo e seus coletivos, não é só abrir a porta do teatro. É preciso que todos entendam que o trabalho de artistas, coletivos, centros culturais envolvem programação, agenda, planejamento de uma série de profissionais.

Editais Culturais são bons e é claro que todos os prazos de execução e entrega dos produtos culturais precisam ser cuidadosamente pensados.

Flexibilizar é importante para que os premiados consigam dar conta da execução começando a planejar quando efetivamente puderem voltar ao trabalho.

Ao mesmo tempo o criativo precisa se organizar para não gastar uma verba - de edital ou patrocínio - que está disponível para o seu projeto na sua subsistência. Isso coloca em risco a efetiva realização do produto cultural.

Os segmentos da economia criativa foram os primeiros a serem afetados e serão os últimos a voltarem à atividade plena. Durante esse período sobrevivem como? Circenses, músicos, atores, bailarinos, artesãos e toda uma cadeia produtiva está sofrendo neste momento por falta absoluta de público.

A quarentena precisa ser respeitada para que haja sobrevivência de toda a população e em qualquer parte do mundo.

Neste sentido o FLIGSP - fórum do Litoral, Interior e Grande São Paulo se reuniu e está batalhando pela implementação do PL253/2020 que prevê uma renda básica para trabalhadores da cultura, e subsídio para os espaços culturais a serem preservados e mantidos diante da crise da COVID-19.

O Fórum do Litoral, Interior e Grande São Paulo é formado por artistas, produtores e gestores culturais de mais de 80 municípios, do Estado de São Paulo, somando mais de 150 participantes para debater o desenvolvimento das Artes da Cena e das Políticas Públicas no que se refere à formação, pesquisa, produção e difusão cultural, no intuito de oferecer alternativas que garantam a continuidade e a permanência do artista cênico em sua região.

Veja nos links - abaixo - para mais informações sobre esse PL e sobre o trabalho do FLIGSP. Neste momento tramitam também no governo federal outros PL´s que podem ajudar empreendedores criativos neste momento de crise. Mobilize seus coletivos, conheça as políticas públicas que afetam diretamente o segmento onde vc atua. Seja participativo não só em momento de crise, mas sempre!


É isso!

FLIGSP

▶ https://fligsp.org/ligsp/oque/

PL 253/2020

▶ https://fligsp.org/texto-na-integra-do-pl253-2020-sp/


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page